Nem todo mundo conhece a palavra estrangeira «ladrão de lojas». Esse é o nome para ladrões, compradores desonestos que roubam produtos das prateleiras das lojas, tais como: alimentos, cosméticos e perfumes, roupas e, é claro, álcool. No entanto, de acordo com a Associação Internacional para prevenção de furtos (existe uma sim), a escala desses crimes está longe de ser pequena.

As lojas nos EUA perdem produtos no valor de US$ 13 bilhões a cada ano, ou seja, cerca de US$ 35 milhões por dia.

Além disso, de acordo com as estatísticas americanas, 1 em cada 11 pessoas cometem pequenos furtos perto de suas casas. Ao mesmo tempo, apenas 1 em cada 48 ladrões de lojas são pegos roubando, e apenas metade deles está preso por esse crime. *

A situação na Rússia também está longe de ser ideal. Supermercados e lojas perdem 1−2% de seu faturamento anual devido ao roubo, e é muito provável que os custos finais sejam levados em consideração no preço das mercadorias, caindo sobre os ombros de clientes honestos.

Um típico ladrão de lojas na Rússia é um jovem de 20 a 35 anos, geralmente trabalhando com cúmplices. As mulheres também são vistas cometendo pequenos furtos, embora em menor grau e principalmente em perfumarias. Já publicamos o artigo sobre os 5 produtos mais populares entre os ladrões de lojas nas lojas de um grande varejista russo.

A maioria dos ladrões de lojas provavelmente considera o que está fazendo como nada além de uma brincadeira. Mas, na realidade, esse é um crime sério e a lei da Federação Russa estipula severas penalidades por furto em lojas. Se o custo dos bens roubados for inferior a 1000 rublos, o infrator estará sujeito a medidas administrativas, mas se esse valor for excedido, o ladrão de lojas poderá ser processado criminalmente. O fato é que é difícil de provar o roubo para a administração de pontos de venda, porque o serviço de segurança não tem o direito de inspecionar clientes e seus pertences pessoais sem o seu consentimento voluntário.

Felizmente, existe uma ferramenta eficaz para a eliminação de furtos em lojas. Ele vem na forma de software para varejistas baseado em biometria facial, o que ajuda a lidar com furtos em lojas. Nos últimos anos, o sistema ganhou grande popularidade entre os varejistas russos e continua a se espalhar rapidamente nas redes de varejo, graças ao boca a boca da comunidade profissional de varejistas. Este software mostra resultados de alta eficiência e compensa rapidamente os custos de implementação.

O princípio básico é usar a biometria para reconhecer os rostos dos ladrões de lojas no fluxo de vídeo das câmeras de vigilância da loja e adicioná-los à lista negra de monitoramento.

Após o roubo inicial, o rosto do infrator pode não ser encontrado no banco de dados. Mas, como sabemos, a probabilidade de retorno do ladrão é muito alta, cerca de 50%. Se ele aparecer novamente, o serviço de segurança da loja receberá uma notificação instantânea sobre um comprador indesejado. Os funcionários são capazes de monitorar de perto seu comportamento e impedir o roubo. Convencer um comprador a devolver mercadorias roubadas é muito mais fácil quando há uma gravação em vídeo do crime cometido.

O boca a boca funciona não apenas entre os varejistas, mas também se espalha rapidamente entre os ladrões de loja. Portanto, em um futuro próximo, haverá cada vez menos pessoas decidindo agir de forma imprudente em uma loja com vigilância por vídeo. Desta maneira, a tecnologia da biometria facial também serve como um meio de prevenção de pequenos furtos.

*https://www.hg.org/legal-articles/facts-about-shoplifting-31 291